Transição de Carreira e Autossabotagem

Fugir ou lutar?


Nosso cérebro é programado para garantir a nossa sobrevivência física e emocional. Quando estamos frente a uma situação que pode ameaçar a nossa integridade é preciso decidir entre fugir ou lutar, ou seja, correr ou enfrentar o “perigo”. Tratando especificamente da nossa sobrevivência emocional, muitas vezes formamos em nossa infância crenças e a partir delas desenvolvemos um padrão de autossabotagem que pode ameaçar o desenvolvimento de todo nosso potencial, afetar negativamente a autoconfiança e comprometer o crescimento profissional. A título de esclarecimento, as crenças que dão origem aos sabotadores mentais, são chamadas de disfuncionais porque surgem a partir de uma interpretação muito particular e distorcida da realidade em determinadas circunstâncias. A partir delas criamos padrões automáticos de pensamentos, que geram emoções e comportamentos negativos que se incorporam ao nosso funcionamento e podem ser ativados constantemente sem que percebamos, são os sabotadores!

Todos os serem humanos se sabotam em alguma medida, o que varia é a intensidade, a forma e se este processo atrapalha o progresso na vida pessoal ou profissional. Para conhecer mais sobre o assunto, leia o artigo de minha autoria Três Passos Para Trabalhar os Sabotadores.


Qual a relação entre os sabotadores e transição de carreira?


Quando estamos insatisfeitos com o trabalho que desenvolvemos ou com a empresa onde trabalhamos é importante identificar os motivos que causam esta insatisfação, como por exemplo: conflitos de relacionamento com os colegas ou liderança, atividades de trabalho aquém das suas competências, sensação de incompetência frente a função exercida, falta de possibilidade de crescimento, excesso de trabalho, incongruência dos seus valores com a cultura da empresa, vontade de assumir novos desafios em outro local, desejo de ter novas experiências congruentes com um plano de carreira, dentre outros.


O movimento natural e saudável é entender a causa do descontentamento, assumir para si a responsabilidade de lidar com a situação e escolher o caminho que faça sentido para você, conforme os seus objetivos de carreira. Aqui começa a confusão para muitos profissionais quando estão envoltos no looping da autossabotagem e começam a surgir muitas dúvidas:

- Não sei o que quero;

- Não consigo definir um objetivo;

- A culpa é dos outros;

- Não vou conseguir migrar para uma outra área;

- Tenho que me dar por satisfeito por ter um emprego;

- O mercado de trabalho está muito difícil, não vou conseguir nada;

- Não sou competente o suficiente para conseguir uma oportunidade melhor;

- Não tenho experiência para mudar de atividade;

- Não posso decepcionar a minha família;

- A equipe precisa de mim;

- O meu chefe é muito legal;

- Não posso pensar só em mim, preciso pensar na empresa;

- E se não der certo?


Esses foram alguns exemplos, mas as “desculpas” são tantas que eu poderia escrever uma enciclopédia. Por falta de autoconhecimento e da clareza de que está sob o domínio dos sabotadores, a tendência da pessoa é fugir da solução e permanecer na situação atual por mais difícil e sofrida que ela seja. Nesse caso, uma transição para uma nova área e/ou empresa é uma opção descartada porque as inseguranças são tantas que a provável escolha é não olhar para o problema, não fazer nada e com isso viver o dissabor de uma rotina sem significado, uma carreira sem propósito e realização profissional.



Como lidar positivamente com uma possível transição de carreira?


Olhe diretamente para a sua dificuldade no âmbito profissional, entenda o que está ocorrendo e onde está o foco do problema. Identifique se realmente trata-se de uma transição de carreira para uma nova área e/ou empresa? Caso positivo, defina os seus objetivos e metas profissionais, desenvolva um plano de ação, foque no desenvolvimento de habilidades e tenha atitude para conseguir o que você quer. Se bater o medo de arriscar, encha-se de coragem porque só cresce e aprende quem ousa e não tem receio de fracassar porque “fracasso” faz parte do seu desenvolvimento e é uma grande oportunidade de viver uma vida plena e bem-sucedida. Você pode acessar o meu artigo O Que é Transição de Carreira na Prática e obter mais informações sobre o tema.


O que fazer se tenho muitas dúvidas e inseguranças?


Busque o apoio de um profissional experiente que possa ajudar no seu autoconhecimento, na identificação do seu padrão de autossabotagem, no planejamento da sua carreira e no desenvolvimento de habilidades para que você possa decidir com clareza, assertividade e segurança os seus próximos caminhos.


Seja qual for a sua decisão final, o importante é lutar!

LILIAN SCHOCAIR
_foto-pagina-talentos-em-acao-site-lilia
Posts Recentes
Deixe sua pergunta
Procurar por tags
Siga
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Facebook Icon